​​
Você tem alguma dúvida? contato@psicologiaanimal.com.br

Agressividade entre cães da mesma casa: o que fazer?

Agressividade entre cães da mesma casa: o que fazer?
10/02/2020 danilofonsecaa

Cães convivem na mesma casa, são da mesma raça, mas vivem brigando. Por que isso acontece? A dúvida veio de uma ouvinte da rádio CBN Campinas e foi esclarecida pela diretora científica e acadêmica do Psicologia Animal, Ceres Faraco. No caso, eram três cachorros da raça Lhasa Apso, dois machos e uma fêmea, convivendo no mesmo ambiente. Os machos costumavam brigar frequentemente e o menor se machucava. Apesar disso, estavam sempre juntos. A castração foi uma hipótese levantada pela tutora como uma forma de controlar as brigas. O assunto rendeu o artigo abaixo que traz as possíveis razões desse desentendimento entre os animais e os caminhos para apaziguar a situação e restabelecer o bem-estar em casa. 
Acompanhe a leitura! 

Agressividade e conflito entre cães

Este problema é mais comum do que se pode imaginar. Várias são as situações que podem gerar conflitos na organização dos cães com a família. As brigas mais frequentes entre machos de uma mesma casa ocorrem por disputa e quando convivem com fêmeas. Em regra geral, o que inicia o confronto é o macho de maior porte. 
Estas brigas com cães que convivem, tendem a se agravar ao longo do tempo devido às tensões que são criadas e intensificadas na rotina do dia-a-dia. Os conflitos tendem a ser mais intensos quando o tutor está presente e esse em geral, inconsciente e humanitariamente tenta proteger o mais fraco.

Quando os conflitos podem começar?

Os ataques não iniciam de forma casual. Ao contrário, ocorrem em circunstâncias específicas, mas que a maioria das pessoas não identifica suas regularidades, e estes são os fatores determinantes dos conflitos. Depois de certo tempo, percebem que há acontecimentos comuns que antecedem ou que desencadeiam as brigas. 
Os conflitos tendem a surgir quando os cães ficam agitados ou desorganizados e condições muito comuns atuam como estímulos: a hora da refeição, os passeios, quando a família retorna para casa, disputa sobre o controle de objetos preferidos como brinquedos ou alimentos, a descoberta de novos objetos e disputas por locais de descanso ou na hora de dormir com a família. Outras situações de tensão e manifestação de agressividade acontecem quando há uma demasiada proximidade física, em particular na áreas com restrição de espaço como portas, carros, corredores, escadas ou salas pequenas. 

Em qual idade os cães costumam brigar?

Em qual idade os cães costumam brigar?

A faixa etária em que surgem as brigas é variável, mas frequentemente iniciam quando o mais jovem dos “lutadores” alcança a maturidade sexual ou entre 1 e 3 anos de idade na maioria das raças.
Um motivo seria o cão mais jovem representar uma ameaça à posição do mais velho. Na maioria dos casos, se o mais jovem é menor, as ameaças são eliminadas e o mais velho mantém seu status sem problema. 
No entanto, se o mais jovem tem maior porte ou a estrutura hierárquica entre eles não está bem definida, a proximidade vai desencadear confrontos físicos agressivos. Nestes casos, em que há agressividade continuada, sempre que um dos cães adoecer ou envelhecer, haverá possibilidade de nova disputa e violenta.

A castração é indicada para acabar com as brigas?

A castração é indicada nos casos de agressividade entre machos e os seus benefícios são significativos. Claro, que devem ser tomadas outras medidas de manejo. O objetivo nos casos de agressão entre cães residentes tem a  finalidade definir posições para reduzir ou controlar conflitos.
O ideal é evitar os conflitos pela observação e atitude precoce, quando há sinais de hostilidade entre os cães. Caso não seja identificado antes, imediatamente, após os primeiros conflitos deve-se:

  • manter os cães em separado, quando não estão com supervisão de uma pessoa para evitar brigas;
  • impedir o acesso a objetos de disputa (comida, brinquedos, espaços comuns na cama, etc) e mudar o manejo com as causas relacionadas: pessoas, locais, potes de comida, etc. 
  • realizar encontro supervisionado e com guia para haver controle e impedir agressões físicas. Aqui deve se ter cuidado com agressão redirecionada para as pessoas.  

Atitudes e pontos essenciais em casos de conflitos entre cães:

  1. Manejo do ambiente e animais;
  2. Avaliação veterinária para excluir causas orgânicas que levem à agressividade e estresse;
  3. Castração dos machos;
  4. Tratamentos farmacológicos, se indicado pelo Médico Veterinário;
  5. Em casos graves (como última alternativa), o afastamento permanente.

Para um convívio harmônico e saudável entre todos os seres da casa, é importante que haja conhecimento e entendimento do comportamento animal. Gostou das informações compartilhadas aqui? Acesse nosso blog e confira outras orientações importantes para o bem-estar de cães, gatos e da família multiespécie.

1 Comentário

  1. Jessel Mendes 1 ano atrás

    Excelente canal de informações!! Parabéns

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?