​​
Você tem alguma dúvida? contato@psicologiaanimal.com.br

Esfriou: cuidados para bem-estar e saúde de cachorros e gatos no inverno

Esfriou: cuidados para bem-estar e saúde de cachorros e gatos no inverno
28/06/2019 danilofonsecaa

Com a chegada de dias frios, os tutores atentos e presentes percebem a mudança no comportamento de seu cão ou gato. No inverno, os animais vão em busca de aquecimento e prezam por passar mais tempo em uma boa caminha quente e aconchegante. Além de proporcionar um ambiente tranquilo e aquecido, com uma cama adequada, para o bem-estar deles, as temperaturas mais baixas e o tempo seco pedem também alguns cuidados relacionados à saúde dos cachorros e gatos. Para falar sobre todos esses aspectos, preparamos este artigo. Acompanhe a leitura!
 

Coloque a caminha longe de portas e janelas 

No inverno, vale a pena rever o local da cama do cão ou gato. Para garantir um  descanso confortável e acolhedor, procure o ambiente mais silencioso e aquecido da casa. Isso é imprescindível para o conforto e o bem-estar dos animais de companhia durante a estação mais fria do ano. Acomode a cama longe de portas e janelas para evitar correntes de vento. 

Como escolher a cama ideal para o inverno?

Depois de definir um cantinho confortável e quente para o cão ou gato, é indicado buscar por uma cama mais apropriada para a estação. No caso dos cachorros, a orientação é de que sejam modelos elevados e isolados do chão, para isolar o frio ou a umidade do corpo do animal. No mercado, existem caminhas recheadas com polyfill, um tecido fofo e macio que consegue manter o corpo  do animal aquecido e proporcionar conforto durante seu descanso. 
Outra dica para manter o animal aquecido é colocar a cama sob um estrado plástico (de material lavável), assim o chão frio não será um problema no inverno. Quando se trata de conforto e bem-estar dos animais, é preciso falar também da segurança deles. Então, aproveitando o gancho, a troca da cama deve acontecer sempre que ela  for danificada, pois a exposição de pontas pode causar ferimentos e o pet ainda pode engolir partes do material, como a espuma, por exemplo. 
 

Gatinho dormindo

 

E para os felinos que dormem mais? 

Gatos costumam passar de 13 a 16 horas cochilando. E os felinos gostam de dormir em qualquer superfície, então, para eles, é interessante colocar almofadas nos lugares onde costumam deitar. Durante a noite, no entanto, e por uma questão de instinto de preservação, os felinos preferem camas bem cercadas, como cestas, que dão a sensação de proteção. Normalmente, preferem lugares elevados para poder “vigiar” o ambiente. Mas, em todos os casos, é importante ter rotas de fuga, caso os bichanos queiram escapar rapidamente.

Passeios no inverno, devemos sair?

Os passeios são fundamentais para o bem-estar, desenvolvimento, socialização e saúde dos cães. Então, mesmo no inverno e com os dias menos convidativos, é importante sair de casa. Mas tome alguns cuidados extras, como não sair para passear logo depois do banho, pois pode haver um choque térmico, escolha horários mais quentes, como no meio do dia, e leve água para ele tomar e evitar desidratação.  

Banho e tosa no frio, como fazer?

Muitos tutores tem dúvida sobre a frequência do banho e tosa no inverno. Essa questão vai depender muito da raça e do tipo de pelo do cão. Mas uma indicação é reduzir a frequência dos banhos e rever a tosa, pois o pelo é uma proteção natural e ajuda a manter o animal com sua temperatura corporal. A recomendação é que se faça, caso seja necessário, apenas a tosa higiênica. 
No banho, utilize água morna (nunca muito quente) e procure um local sem vento, bem fechado e aquecido. É imprescindível enxugar e secar bem o cachorro com secador assim que terminar para evitar problemas de pele e respiratórios. 
 

Pulgas e carrapatos no frio?

Pulgas e carrapatos no frio?

Sim, esses parasitas preferem o calor, mas não dão trégua no inverno. Por isso, entre os cuidados nesta época do ano, inclui-se a prevenção de pulgas e carrapatos. A dica é prestar atenção ao ambiente no qual os animais vivem, pois no caso da pulgas, por exemplo, 5% estão no corpo do animal, enquanto 95% permanecem fora na forma de ovos, larvas e pupas. Os tutores devem manter o local sempre ventilado, limpo e sem acúmulo de objetos e restos orgânicos. 
 
As informações passadas aqui foram úteis para você? Compartilhe e deixe mais gente saber como olhar com empatia, respeito e cuidado para os animais de companhia. No site do Psicologia Animal, você encontra mais conteúdo sobre bem-estar e comportamento animal e também pode se inscrever para participar de nossos cursos online. 
 
 
 
 

1 Comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?